Oftalmologia, diabetes, catarata, descolamento da retina, queratocone, moscas volantes, hipermetropia, olho seco, presbiopia, glaucoma, miopia, erro refrativo, astigmatismo, oftalmologfia pediátrica, lentes de contato, cirurgia ocular

Doenças Oculares

Glaucoma

O que é o glaucoma?

O glaucoma é uma doença ocular grave sendo atualmente uma das principais causas de cegueira.

O glaucoma deve-se à retenção de um fluído (humor aquoso) dentro do olho que faz com que a pressão intra-ocular aumente afetando e destruindo o nervo ótico que é a via de transmissão da imagem do olho ao cérebro. Estas lesões provocam perda do campo visual.

Ainda não é possível curar o glaucoma mas os avanços no diagnóstico e tratamento permitem que o doente mantenha uma visão útil ao longo da vida.

As crianças podem nascer com glaucoma mas esta doença afeta mais os adultos acima dos 40 anos. Os diabéticos e os familiares de doentes com glaucoma têm mais probabilidade de ter a doença.

Os sintomas

Devido a ser uma doença assintomática (sem dor, nem inflamação, nem perda de visão evidente) o doente só se apercebe quando já está numa fase avançada pois começam a perder visão na periferia do campo visual. A medida que a doença evolui a perda de campo é cada vez maior até à cegueira.

Quais os fatores de risco?

Idade superior a 40 anos

História familiar de glaucoma

Pressão ocular elevada

Medicação com corticóides

Doenças como hipertensão arterial, diabetes

Miopia

Indivíduos de raça negra e asiática

Antecedentes de trauma ocular

 

Os tipos de glaucoma

  • Glaucoma de ângulo aberto: é a forma mais comum de glaucoma e está associada ao envelhecimento. Neste tipo de glaucoma há um aumento da pressão intra-ocular devido à dificuldade do escoamento do humor aquoso. A destruição do nervo ótico é lenta e indolor de tal forma que o doente só se apercebe da doença quando a lesão já é extensa.

 

  • Glaucoma de ângulo fechado: é uma situação aguda, rara e grave que requer tratamento de urgência. Neste caso a íris bloqueia completamente os canais de saída do líquido provocando um aumento súbito de pressão intra-ocular com dor ocular forte, visão enevoada e círculos coloridos à volta das luzes, dor de cabeça, náuseas e vómitos.

 

  • Glaucoma Congénito: é muito raro e atinge essencialmente bebés. Geralmente é causado pelo incorrecto desenvolvimento dos canais de drenagem. Estes bebés têm olhos grandes e por vezes córnea turva, choram permanentemente e não conseguem encarar a luz. Só pode ser tratado cirurgicamente.

 

  • Glaucoma secundário: este glaucoma está associado a doenças corno diabetes, infeções ou traumas ou como resultado de tratamentos com determinados medicamentos como corticóides.

 

Como se diagnostica?

Para o diagnóstico é preciso avaliar:

A pressão intra-ocular

A destruição do nervo ótico

Os campos visuais em cada olho

Análise da camada de fibras nervosas

 

Qual é o tratamento?

  • Medicamentos: gotas oculares para reduzir a pressão intra-ocular.
  • Laser: quando a medicação não resulta.
  • Cirurgia: quando nem a medicação nem os raios laser resolvem a situação do doente.

Portugal Telecom – Associação de Cuidados de Saúde (ACS)

MEDIS

PT

MULTICARE

CGD

EDP

Outros Acordos

 

Clínica Paula Sepúlveda, Lda

Rua Dr. Francisco Duarte, n.º 110, 1.º, Salas 13 e 14, 4715-018 BRAGA

Coordenadas GPS 41°33'05.9"N; 8°24'12.6"W

Telemóvel 919 948 385

Telefone 253 610 383 | Fax 253 610 387

e-mail paulasepulveda@sapo.pt

www.paulasepulveda.pt